Mais lidas
Share

Com o time praticamente reserva, Campinense empata com o Cruzeiro

Foto: ASCOM/Campinense Clube

Um duelo de Raposas agitou a noite fria desta quarta-feira (20) em Campina Grande. Campinense e Cruzeiro se enfrentaram pelo jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil de 2016, mas ambos com o pensamento longe da competição nacional. Com um homem a mais em campo desde o início do segundo tempo, a Raposa da Paraíba não conseguiu furar o bloqueio do time celeste, e o 0 a 0 se manteve até o apito final.
O rubro-negro pensava no Clássico dos Maiorais do próximo domingo, pelo Paraibano, que pode definir o futuro do Campinense no segundo semestre dos próximos dois anos. Já a Raposa de Minas Gerais também estava com a cabeça na semifinal do Campeonato Mineiro, onde perdeu por 2 a 0 para o América-MG na primeira partida.
Com a bola rolando, a primeira chegada perigosa foi da Raposa mineira, e logo aos 3 minutos. O atacante Rafael Silva recebeu a bola na entrada da área e chutou de perna esquerda. O goleiro Gledson fez a defesa em dois tempos, e se chocou com Elber após o lance, mas recebeu o atendimento e se recuperou sem problemas.
Em um belo lance o Campinense respondeu. Aos 14 minutos, Filipe Ramon cobrou escanteio e tentou fazer o gol olímpico, mas Fábio se esticou todo e evitou que a  Raposa paraibana abrisse o placar.
O jogo ficou frio durante mais ou menos 20 minutos. O Cruzeiro tinha mais posse de bola, mas praticamente só trocava passe entre seus defensores, sem conseguir pressionar o rubro-negro em nenhum momento. O Campinense, por sua vez, ficava postado na defesa, esperando as investidas dos mineiros, mas em vão.
Já no finalzinho o time de Campina Grande chegou com perigo mais uma vez. Aos 43 minutos, Magno recebeu na intermediária e lançou para Danilo, que apareceu por trás da defesa, foi até a linha de fundo e cruzou para Renatinho, que cabeceou com perigo, ao lado da trave esquerda do Cruzeiro.
No lance seguinte, Magno apareceu novamente e chutou forte da intermediária. A bola ainda beliscou o travessão antes de sair pela linha de fundo.
Segundo tempo
Torcida do Campinense no Amigão.
Francisco Diá percebeu que o Cruzeiro não fazia uma boa partida e colocou Roger Gaúcho para que a Raposa paraibana fosse buscar a vitória contra o time mineiro.
E já aos 3 minutos Adalgísio Pitbull recebeu a bola do meio campista, avançou em velocidade e foi derrubado por Léo praticamente em cima da linha da área. O árbitro expulsou o defensor, mas marcou a falta fora da área. Na cobrança, Filipe Ramon bateu forte de perna esquerda, e a bola passou tirando tinta do ângulo direito de Fábio.
Três minutos mais tarde, em cobrança de escanteio, o zagueiro Tiago Sala subiu mais que todo mundo e cabeceou no canto direito, rasteiro, mas o arqueiro cruzeirense fez boa defesa e evitou o gol do rubro-negro. No contra-ataque, o Cruzeiro respondeu com Elber, que avançou em velocidade, invadiu a área e, na saída de Gledson, tocou por cima do gol.
Só aos 19 minutos o Cruzeiro conseguiu chegar, e desperdiçou uma chance incrível. Alisson avançou pela esquerda e foi até a linha de fundo para cruzar para Lucas Romero, que chegou batendo de primeira, sozinho na pequena área, mas mandou por cima do gol.
E o time mineiro aproveitou que o Campinense foi para cima e passou a aproveitar os contra-ataques. Aos 23 minutos Elber aproveitou falha de Magno, ganhou de Tiago Sala na velocidade e ficou cara a cara com Gledson. Ele tentou chutar na saída do goleiro, que saiu abafando e evitou o gol celeste.
O empate por 0 a 0 obriga os times a se enfrentarem novamente no dia 4 de maio, desta vez em Belo Horizonte. Para se classificar, o Campinense precisa de uma vitória simples ou qualquer empate com gols. Novo 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Em caso de derrota, o Cruzeiro fica com a vaga na segunda fase.
Ficha técnica
Campinense 0 x 0 Cruzeiro
Copa do Brasil 2016 (1º jogo da primeira fase)
Estádio: Amigão (Campina Grande)
Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza (SP); Carlos Augusto Júnior (SP) e Marlon Rafael (PE)
Gol:
Cartões amarelos: Magno (CC); Lucas Romero (CRU)
Cartão vermelho: Léo (CRU)
Campinense: Gledson, Everaldo, Jairo, Tiago Sala, Danilo; Renatinho (Raul), Magno, Filipe Ramon (Fernando Pires), Jussimar; Bruno Corrêa (Roger Gaúcho), Adalgísio Pitbull. Técnico: Francisco Diá.
Cruzeiro: Fábio, Mayke, Léo, Bruno Rodrigo, Fabrício; Henrique, Lucas Romero, Ariel Cabral, Elber (Douglas Coutinho); Alisson (Allano), Rafael Silva (Bruno Viana). Técnico: Deivid.

Fonte: Voz da Torcida

2 comentários:

  1. Santa Cruz vai pegar um time brioso, unido, entrosado e motivado. Os jogadores do Campinense vão dar o sangue. Tem uma coisa de bairrismo entranhado. Os recifenses são orgulhosos de sua terra e desprezam as outras terras também valorosas. Raposas não são imunes ao veneno da cobra coral, mas são ágeis e podem quebrar a espinha da serpente. Campina Grande tem tradição. Campinense vai matar a cobra e mostrar o cadáver.

    ResponderExcluir
  2. Santa Cruz vai pegar um time brioso, unido, entrosado e motivado. Os jogadores do Campinense vão dar o sangue. Tem uma coisa de bairrismo entranhado. Os recifenses são orgulhosos de sua terra e desprezam as outras terras também valorosas. Raposas não são imunes ao veneno da cobra coral, mas são ágeis e podem quebrar a espinha da serpente. Campina Grande tem tradição. Campinense vai matar a cobra e mostrar o cadáver.

    ResponderExcluir

O Blog do Campinense não tem qualquer vínculo com o site oficial do Campinense Clube.

Em postagens antigas, é possível haver erros de português e digitação. Pedimos desculpas, mas não tem como corrigir tantas postagens. Caso você perceba algum, por favor comente e corrigiremos o mais rápido possível.

Seja sócio da Raposa

Traduzido Por: Mais Template - Designed: Blogger Templates - Curioso Curiosidades